Serviços a serem executados :

Serviços técnicos em topografia, levantamentos topográficos, retificação de área, desmembramento, loteamentos, georreferenciamento de imóveis rurais, usucapião, unificações, nivelamentos, batimetria, locação de obras, locação de sondagens, marcação de offsets, projetos de terraplenagem.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

NIVELAMENTO GPS RTK x CONVENCIONAL

O intuito da exposição abaixo é somente para mostrar para os demais colegas a gravidade do assunto, e penso eu devemos todos está cientes!

TITULO:
Nivelamento RTK x Convencional “Choque entre tecnologias ou falta de entendimento pede levar ao retrocesso ?”

QUESTIONAMENTO:
Prezado colega, Sr Angelo Pennella
Em reposta a sua declaração “NÃO será aceito levantamento ALTIMÉTRICO com uso de equipamento RTK” .de não aceitar levantamento topográfico altimetrico com o uso de RTK (Real Time Kinematic), gostaria se possível de sua explanação técnica pela qual embasamento técnico o levou a essa decisão, penso que você deveria citar na sua declaração os motivos pelo qual o levou a direcionar neste sentido e assim todas as empresas que estão participando da concorrência poderia ver em tela os quesitos técnicos de negativa do uso do sistema RTK, e ainda caso a decisão do não uso do sistema RTK na altimetria “por desconhecer a certeza da precisão” também respectivamente na geometria irá incorrer no mesmo modelo da incerteza não concorda ? e por construção o sistema GNSS/ GPS ele é intrinsecamente contem as mesmas variáveis condicionais de erros na geometria quanto na altimetria.

Permita-me, vou explanar um pouco sobre o sistema RTK, até por questão técnica e científica, e claro tentar esclarecer de acordo com o meu conhecimento e experiência, sabemos que existe uma lacuna com relação a normas brasileiras para esse fim, por exemplo a ABNT 13133/NBR 1994 que trata desse assunto foi editada mais de 20 nos , onde até então estava se iniciando o uso do GPS no Brasil para fins especifico de Geosesia pelo IBGE e Petrobras, desde então a tecnologia avançou espantosamente em todos os sentidos com estações total que mede sem prisma, Scann 3D, sistema GNSS altamente preciso e confiável etc. em por fim a norma que regulamenta e dita parâmetros técnicos e temporais de uso aplicações ABNT/NBR é completamente arcaica e não condiz com a realidade do momento e do conhecimento atual.

Em face disso o que vimos são empresas contratantes de serviços e projetos de engenharia publicas e privadas não ter em mãos um termo de referencia lega (Norma oficial) que condiz a realidade do conhecimento e tecnologia da atualidade para ser consultado, com isso a posteriores são as negativas das empresas contratantes afirmando “muitas vezes sem base e referencia técnica/científica” que não aceitar produtos e matéria prima gerado através de tecnologias de GPS “desconhecidas” e onde não existe um termo, norma legal ou estudo científico afirmando e demonstrando a metodologia de uso e aplicação de modo que forneça paridade em igualdade ou melhor em relação as outras tecnologias já existente no mercado. E é exatamente essa lacuna que faz com que os valores desses serviços aumentem muito, as empresas contratantes pagam bem mais, o dispêndio e despesas para realizar os trabalhos conseqüentemente também é maior em resumo toda a cadeia de custos e prazos será afetada por essa condição. Onde na realidade o sistema é completamente seguro e preciso, chagando a fornecer acurancia (Precisão) melhor que o sistema convencional quer seja na geometria quer seja na altimetria.

Estudo de caso: A nossa empresa utiliza o sistema RTK já pelos 4 anos, eu também como profissional serio antes de por em pratica o sistema RTK e fornecer nossos produtos técnicos fiz um trabalho minucioso aplicando o sistema RTK e um nível topográfico automático precisão de 1mm por Km/duplo fizemos um levantamento topográfico no trecho de 15 km para fins de saneamento básico e coletor tronco da Cidade Olímpia – SP, a geometria do traçado em função da topologia do local se apresentava mais ou menos como a letra “U” em primeiro lugar fiz o transporte de RN Municipal para frente de serviço e os demais nivelamento de todo o trecho aplicando o sistema RTK, e posteriormente fiz a conferencias da cotas altimetrica com o nível topográfico num trecho de +/- 6 Km ou seja na corda ou pernas da letra “U” fizemos o nivelamento e contra nivelamento, tomando como referencia uma cota fornecida pelo o RTK e chegamos numa outra cota também fornecida pelo RTK e o fechamento nos aprestou diferença de 6 mm, ou seja o sistema RTK é confiável e preciso, na realidade o que é necessário e aplicar a metodologia correta de uso em campo. Sabemos que o nivelamento topográfico convencional é gravimétrico (Sofre os efeitos da gravidade) já nivelamento por GNSS/RTK não passar por esse fator físico, onde por exemplo um nivelamento convencional numa distancia de 100 m o efeito da gravidade é de 0,8 mm e numa distancia de 500 chega a ser de 19,6 mm, mas existem metodologia para amenizar ou igualar essa discrepância de nivelamento RTK x Convencional.

Obs. Mas volto afirmar e compartilho de sua decisão, como contratante você tem o direito de exigir essa ou àquela tecnologia a ser fornecida, mesmo sabendo que sua decisão incorrera em pagar bem mais pelo produto final!

Att. Eng. Leonilson Liandro da silva
Diretor

11 comentários:

  1. COMENTÁRIO:

    NÃO HÁ COMENTÁRIOS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Está sendo falado no RTK? e no levantamento estático? Poderia ocorrer o mesmo problema?E a correção do MAPGEO? como fica? Seria muito importante para todos a resposta a essas dúvidas.

    a)Otaviano Barros - Montes Claros - MG

    ResponderExcluir
  3. algum de voçês ja usa piloto automático pra fazer curvas de nivél

    ResponderExcluir
  4. eu nao sei porra nenhuma de nada disso ...a unica coisa que eu sei é ...Uma vez Flamengo sempre Flamengo !!!

    Adriano o Imperador da Cachaça voltou !!!!

    ResponderExcluir
  5. Realmente o modelo geoidal Barasileiro vem a cada dia melhorando mais, a altimetria do GPS é em relação a elepsoide onde aplica-se o modelo para calcular a altura da geoide em relação a elepsoide, (orthometrica e geométrica)pergunta-se : Éssa melhora é em todo territorio nacional ou em regiões mais avançadas tecnologicamente onde este modelo é diariamente ou mensalmente atualizado?
    Leonardo

    ResponderExcluir
  6. Prezado Leonilson

    Gostei muito das suas considerações sobre o uso de RTK no nivelamento de trechos. Apenas uma pergunta, no momento do levantamento com o RTK, voce utilizou algum k ou kr no gps ou apenas fez o levantamento partindo de uma rn. Voce utilizou de alguma correção posterior ao levantamento com o RTK para corrigir a curvatura da terra?

    grato e parabéns

    ResponderExcluir
  7. Também tenho essa duvida!!! E feito alguma correção e ajuste apos o levantamento, ou é partido de uma referencia altimétrica, como a base???

    ResponderExcluir
  8. Carlos,
    Podemos realizar o nivelamento ou o transporte de nível partir do RN/RRNN por dois métodos, a saber:
    a) Metodologia aplicando-se a correção da curvatura terrestres, conforme norma do IBGE, ANEEL para projetos de Rede de alta tensão, UHE/PCH e outros cujo a infraestrutura esteja dentro ou faça parte de um modal/intermodal (dentro de uma mesma região, estado ou várias regiões e estados) por exemplo projeto de Ferrovia, Rodovias e outros. Neste caso devemos utilizar o Software indicado pelo IBGE MAPGEO para interpolar a real superfície topográfica, claro aqui neste caso estamos tratando de grandes distancias, vetores longos acima de 20 km, 100km ou mais. Então é de fundamental importâncias realizar esses ajustes geoidal.

    b) E o outro método, seria para caso inclusivos de distancias curtas onde os vetores não ultrapassem 2km a 5km, ou seja serviços topográficos de loteamentos, industrias, esgotamento urbano, e outro dentro desse porte. Neste tipo de caso, e claro temos estudo de caso que o sistema RTK funciona perfeitamente com precisão igual ou superior ao nivelamento topográfico convencional.

    Nos dois modelos, a metodologia de trabalho de campo é igual, onde instala-se a base RTK em um RN cuja a cota Z deve ser conhecida, e com RTK rover faz a as visitas nas estacas e demais pontos de interesse, quando o vetor estive com distancias entre 2km faz-se uma mudança para um PS/RN conhecido ou não, traz-se para esse ponto a Base RTK, e dá-se continuidade aos trabalhos.
    Neste caso como os vetores são curtos, não é necessário aplicar a correção geodal, mas caso for, veremos que os valores de correção serão bem pequenos.

    Atte. Leonilson

    ResponderExcluir
  9. Prezados, boa tarde!

    O assunto é interessante, mas não há em que se preocupar. Já dizia em um trecho de uma música:

    " ... Quem sabe sabe a hora e não espera acontecer ..."

    Em outros países este assunto não mais se discute, já foi superado e provada a efetividade da tecnologia RTK para fins de levantamentos altimétricos, independentemente de norma técnica regulamentar. No Brasil também já encontram-se difundido, apenas as publicações a respeito ainda estão tímidas.

    Atenção deve ser dada apenas a cada caso particular para não ultrapassar os limites requeridos e/ou admitidos pelo tipo de serviço.

    Sds.,

    David Gurion

    ResponderExcluir